segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

Meet

Infelizmente, e pelo que se tem visto, agora é moda.
Não me vou alongar no tema para evitar más interpretações. Lamento, apenas, que no nosso país só peguem as "modas" que em nada nos dignificam.

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

Férias, o resumo

O fim é mesmo o único defeito das férias. E as minhas já terminaram.
Uma semana em território nacional, outra fora de portas. Furadouro e Saidia.
Em Portugal passei uma excelente semana no Furadouro. Rica terra. Pequena, pacata, mas com tudo o que o descanso exige. A praia já foi maior, é verdade, mas ainda há muito onde estender a toalha. A restauração não é muita, mas a que tem é de qualidade. Destaco dois nomes: o Café Amadeu e a Casa do Pescador. O primeiro fica junto ao mar, na avenida principal, e embora se chame café tem uma óptima cozinha para saborear na esplanada, de preferência. O segundo fica meio escondido, numa rua secundária, mas também perto do areal e, como o próprio nome sugere, tem no peixe a sua especialidade. Há de tudo e tudo muito bom. O aspecto exterior desta última casa esconde um interior muito bonito. Não passem e sigam, espreitem e entrem. Quero salientar que o preçário de ambas as casas também é convidativo, não se praticam aqueles preços próprios de quem vive perto da rebentação do mar. É até bastante acessível. Acreditem.
Na minha segunda e última semana de férias apanhei um avião com destino a Marrocos. Uma viagem curta, de uma hora e trinta, o que é sempre muito bom, com destino a Saidia. Depois de ter estado, há três anos atrás, em Marraquexe e de me ter apaixonado por aquela cidade, que merece, sem qualquer margem para duvida, uma visita e um descobrir cuidado de tudo o que por lá há, fui agora para um resort, num estilo de férias totalmente diferente do vivido na minha primeira visita aquele país, numa zona que apenas tem turismo há sete ou oito anos e esta foi mesmo para descansar e não para andar. Foi muito na base da espreguiçadeira, da piscina, da praia, do bar e do buffet. E quanto a isso não me posso queixar. O hotel é muito bom e a praia, mesmo sem o aspecto das caraíbas tem um mar calminho, com água quente e um areal muito fino. Vale a pena.
Surpreenderam-me os marroquinos, presumo que com dinheiro, que estavam no hotel. O buffet era para eles um local de javardice, onde faziam questão de mostrar que estavam ali para estragar mais do que comiam, bem mais. Coisa que a mim pessoalmente me deixa completamente alterado. Detesto ver gente a estragar e a desperdiçar comida. Fora disso não tenho nada a apontar. Os empregados, de forma até engraçada, fazem um esforço tremendo para falar o português e só não faziam o que não podiam. Pessoas adoráveis que, e isso ainda se nota, precisam de limar algumas arestas do ramo da restauração, mas quem dá o que tem a mais não é obrigado e tenho a certeza que irão melhorar com o tempo.
E pronto, quanto a férias estamos esclarecidos. Resumidamente foi isto.

terça-feira, 5 de Agosto de 2014

quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Nove anos sem ti

Fui ontem à tua missa, amigo.
Já passaram nove anos desde a tua partida. Nove anos assim, num abrir e fechar de olhos.
Estive com os teus, carregam a mesma dor desde o dia em que lhes disseste adeus, mas vivem, lutam e não desistem. Admiro-os. É assim que tem que ser, eu sei, é assim com todos nós, também sei, mas a eles admiro-os mais ainda. Não me perguntes porquê. Talvez o carinho que nos une seja culpado dos olhos com que os observo. Talvez.
Estejas lá onde estiveres sei que vais tomar conta deles e fá-lo da forma que tens feito. Ontem vi sinais de que lhes tens mostrado o caminho certo da vida. Dá-lhes força, que eles bem precisam e bem merecem. Para mim não peço nada, sei que não preciso. Conheço o teu coração.
Um abraço, Tiago. O nosso abraço.

terça-feira, 22 de Julho de 2014

Manuela Moura Guedes

Gosto do Quem Quer Ser Milionário. Não gosto da Manuela Moura Guedes. Do programa sempre gostei, dela nunca gostei muito. O problema é que nesta altura não é possível separar uma coisa da outra e por isso, com muita pena minha, tive que deixar de ver este concurso.
Não entendo como permitem que a apresentadora tenha a postura que tem. A senhora parece que está ali a fazer o jeito aos concorrentes, então se não gostar de quem lá está a tentar ganhar algum está o caldo entornado, chega mesmo a ser mal educada. Não se admite.
Ó Dona Manuela se não gosta do que faz, se está contrariada, demita-se. O país agradece!

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

quinta-feira, 17 de Julho de 2014

O sucesso de um amigo

Há uns atrás, era eu um adolescente que dava uns pontapés na bola, o meu clube apresentou-me um novo treinador e a vida tratou de o transformar num amigo daqueles que ficam para sempre, mesmo que à distância. Com ele aprendi muito daquilo que se deve fazer dentro das quatro linhas de um campo de futebol, mas mais importante que isso foi tudo o que ele me ensinou com a bola longe dos pés. Com ele cresci, aprendi a ser mais homem e, acima de tudo, tornei-me um ser humano melhor. E hoje, passados catorze ou quinze anos, já nem sei bem, a nossa amizade mantém-se e ainda bem que se mantém porque gente boa e de coração cheio fazem sempre falta e sabem-nos sempre bem.
No que à bola diz respeito, rapidamente se notou que este treinador tem uma característica que só os predestinados têm, isto na minha opinião. Está nele bem vincada a capacidade de retirar o melhor de cada um dos que trabalham consigo e quando assim é tudo se torna mais fácil. A amizade e a união que ele cria no grupo faz com que os que dele fazem parte se sintam capazes a dar tudo pela equipa, pelo treinador e pelo clube. A realidade é que este treinador tem tido sucesso por onde tem passado e como todos nós sabemos nada acontece por acaso e o sucesso vive de mão dada com o trabalho. Só quem trabalha muito pode atingir determinados patamares. O trajecto deste meu amigo tem sido feito com passos seguros e sempre bem dados, com a paciência que só os que sabem o que querem têm.
Hoje ele é treinador dos juniores da Académica de Coimbra e eu só posso dizer a quem é da Briosa e a quem confiou nas qualidades deste senhor da bola que a escolha não poderia ter sido mais acertada e o futuro dar-me-á razão, tenho a certeza.
Um dia vou vê-lo em estádios da dimensão da sua qualidade, em jogos que a televisão vai transmitir e eu, se Deus quiser, estarei por perto a aplaudi-lo e a dizer-lhe que tudo o que ele conquistou foi mais do que merecido.
O sucesso dos meus amigos sabe-me tão bem como o meu, por isso e por tudo o que me une ao Professor Miguel eu só posso desejar-lhe o que de melhor esta vida tem.

quinta-feira, 10 de Julho de 2014

Pós cirurgia

Quarenta dias após a cirurgia eu voltei a correr.
Saí de casa só para experimentar, ainda na duvida se corria ou caminhava, comecei a acelerar o passo e só parei quando voltei ao ponto de partida. Foram quatro quilómetros e qualquer coisa a um ritmo aceitável para quem esteve na prateleira desde abril.
O joelho portou-se lindamente, mesmo sem a massa muscular no seu estado normal. Notei, como era de prever, que perdi pulmão, mas isso não é nada que não se consiga resolver. Importante é que o que realmente me preocupava respondeu da melhor maneira possível. Hoje, passados dois dias, estou com aquelas dores musculares que já não me lembrava de ter, mas feliz.

terça-feira, 8 de Julho de 2014

O mundial de Portugal

Que nada acontece por acaso já todos sabemos, ou, pelo menos, desconfiamos. E, isto cá entre nós, ninguém engoliu muito bem aquela história de que foi a humidade e o calor que não os deixaram correr no Mundial do Brasil. Podiam prejudicá-los, mas não os tolhiam como os tolheram. As escolhas, essas, também não foram as melhoras, verdade seja dita, levamos para lá muito homem a precisar de fisioterapia, é verdade, mas podiam, pelo menos, ir com vontade de representar um país, com o mínimo de profissionalismo que se exige a um atleta que está presente numa fase final de um Mundial.
O certo é que há quem tenha ido para o Brasil com objectivos previamente traçados e nenhum deles passava por deixar em campo sangue, suor e lágrimas. E nós, aqui feitos parvos, a acreditar que era possível irmos longe, muitos sonharam até com a conquista inédita do troféu, outros acharam que eles iam dar o que tinham e o que não tinham por nós, e houveram até aqueles, os que são de bom tempo, a terem a certeza, mesmo vendo os outros a correrem muito mais, que eram as elevadas temperaturas e a muita humidade que não os deixavam ser melhores.
A verdade é que o Beto, ainda antes do Mundial ter começado, já estava a organizar a sua vida no nosso país irmão, prova disso é o facto de Deh Alves estar à sua espera no hotel logo depois do jogo entre Portugal e o Gana, provavelmente o facto de Beto ter chorado em campo motivou a visita desta manequim brasileira, tentando assim animar o guarda redes português, que, mesmo lesionado, satisfez a menina e deixou-lhe uma excelente imagem.
Resumindo, é sempre bom saber que enquanto os portugueses que por cá ficaram lamentavam a nossa precoce eliminação da competição o Beto estava a dar uma boa imagem do macho português em camas brasileiras. Houve até tempo para um arrufo amoroso entre o casalinho, sendo que Cristiano Ronaldo, como bom capitão de equipa, tratou logo apaziguar as coisas. Muito bem, malta!
É ver para crer!

terça-feira, 1 de Julho de 2014

Pensamento #7