quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Desabafo!

Esta semana a minha vida vai ficar na gaveta. Vou viver ao sabor dos prazos, do calendário e do relógio. Só queria deitar-me, adormecer e acordar sábado. Pronto, já desabafei. Vou indo!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Charlie Hebdo

Gritavam eles que mataram Charlie Hebdo. Não mataram. Mataram gente com família, que tinha como oficio ter humor. Mataram a liberdade de expressão, ou pelo menos deixaram-na assustada e a pensar. Nenhuma das vidas ceifadas tinha culpa da limitação intelectual dos que carregaram armas em nome do Deus deles. Aquele polícia a quem eles levaram a vida como quem bebe um copo de água só queria o dia de amanhã. Só isso!
Vivemos num mundo tão selvático que ter humor é já um ato de coragem.

Pensamento #9


terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Nutella

Comprou-se um frasco de Nutella lá para casa. Dos pequenos, porque era só mesmo para ter e pouco se ia usar. Era para ela, eu não ligo muito a doces. Passados poucos dias posso dizer-vos que o frasco parece-me muito pequeno e é meu. Só meu! Ainda hoje de manhã torrei duas fatias de pão integral, porque tem que haver equilíbrio, enchi-as de Nutella e com uma chávena de café quente fui ao céu e voltei. Assim, num ápice!

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

2015

Um dia já foi. Este, por sinal, bem tranquilo. Cama, mesa e sofá, como de costume.
Amanhã começo a trabalhar no fim de um projecto já com algum tempo. Vai ser um inicio de ano duro, com muito trabalho, mas com a certeza de que vou conseguir.
Venha de lá esse 2015!

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Dois mil e...

Passou mais um ano. Assim, num abrir e fechar de olhos. Deste que hoje acaba só posso falar bem. Graças a Deus. Olho para trás e vejo que tive saúde, que fui feliz, que realizei muitos dos meus desejos, alguns de uma vida. Os meus, aqueles que amo, estão bem, estão perto de mim e sempre presentes. Isso é o que realmente importa. Quero-me sempre assim, feliz e de coração cheio. É de peito feito que vos digo que este será um ano que eu jamais irei esquecer. Não que tenha sido mais que outros que já lá vão, também teve dias menos bons, como todos os que já foram, mas marcou e carimbou muitas conquistas minhas. E é isso que fica, é isso que eu guardo, com o resto eu aprendo. Não tenho espaço para guardar dores e rancores. Recuso-me a isso. A vida é demasiado curta, acreditem. Isto do viver não é mais que uma passagem, não tem tempo para ter defeitos. Procurem virtudes no vosso dia a dia, olhem para quem vos ama e sintam-se recompensados, não invejem ninguém, queiram ser melhores por vós mesmos, não pelos outros, procurem os vossos amigos nas horas boas, mas não permitam a vossa ausência em horas contrárias, queiram mais, todos os dias, mais para vós e para os vossos, tenham gestos, mesmo que pequenos, que marquem e à noite, sempre que se deitarem, fechem os olhos e procurem o gesto que marcou o vosso dia, se o encontrarem vão ver que o vosso sorriso vai adormecer no vosso rosto, bem por baixo do vosso nariz.
A quem me fez bem o meu obrigado, a quem me prejudicou o meu obrigado também, aprendi com ambos, mas permitam-me selecionar. Na minha vida só diz presente quem eu quero. Sempre foi assim, mas isto da idade acaba por vincar certas maneiras de ser e de estar, não estranhem.
A quem me lê desejo um ano novo cheio de saúde, farto de paz e coberto de alegria. Que cada dia seja realmente uma nova oportunidade, vamos fazer com que valha a pena viver e sejamos felizes, de verdade!

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Sem tempo, mas feliz

Hoje um amigo reclamou. E com razão.
O blog está parado há mais de um mês. Nunca tal aconteceu.
Eu com tanta coisa boa para contar e o mundo a viver na ignorância.
Ando feliz. Feliz como há muito não andava. Ou, indo mais longe, feliz como nunca andei.
Não vos quero dizer que estou mais feliz do que nunca. Não, não é isso. Sempre fui feliz, mas esta é uma felicidade diferente. É ser homem realizado. É viver de peito cheio. É sentir-me completo. É querer e ter. É ser útil e preciso. É ser importante. É ter peso na hora de decidir. É ser o que sempre sonhei. É ter o que sempre quis. É ter o que amo e ser o que quero todos os dias. Todos os santos dias!

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Não me esqueci

Não, não me esqueci do blog, perdi foi o tempo que era dele.
Para quem me lê fica o meu pedido de desculpas. Tem sido mesmo impossível.
Logo que possa vou sentar-me convosco à mesa e vamos conversar com calma.
Até lá.