segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

O 2012

O Olho Vivo - textos do blog, a capa. Nokia Asha 200. Alfândega da Fé. The Gift, ao vivo. Burocracias do lançamento do livro. O livro e eu na imprensa. Entrevistas nas rádios cá da terra. Lançamento oficial d'O Olho Vivo - textos do blog. O blog virou livro. Acidente na Suiça, morrem vinte e duas crianças e seis adultos. Lyani Viiktórya. Manifestação em Lisboa. O meu livro vende-se por todo o país. Call of Duty - Modern Warfare 3. O fim do meu Hotmail. Scott, o meu bulldog francês, chega a casa. Golpe de estado na Guiné-Bissau. Twitter. Montalegre, sexta-feira 13. Linkedin. Piermario Morosini. O gesto de Di Natale. Pinto da Costa, trinta anos de presidência.  Seis anos de blog. A conferência em que eu confrontei o Bastonário da Ordem dos Advogados. Justiça Cega elege a minha questão via Twitter. Instagram. FC Porto, bicampeão nacional. Convidado, como orador, na conferência "importância da leitura", na Escola do Nervir. Casamento do G. e da C. Jorge Palma e os Globos de Ouro. Alexandre Lencastre no varão. Reencontro de ex-jogadores do Abambres. O Olho Vivo na FNAC. O Sr. Rogério. O Euro 2012. Portugal nas meias finais. O Olho Vivo na Wook. Visita à minha escola primária. Miguel Relvas, caloiro e finalista no mesmo ano. Sofia Aparacio e o seu dente de ouro. Faleceu José Hermano Saraiva. Faleceu o Sr. Manuel Carlos. Jogos Olímpicos de Londres. Michael Phelps histórico. Aveiro. Douro Scala. Regresso ao futebol federado. SC Régua. Casamento do B. e da F. Hulk no Zenti, adeus. A conferência de imprensa do Toni. México, Riviera Maya. Vinte e nove anos de mim. Miguel Oliveira da Silva. Jorge Rodrigues, um amigo campeão da Estónia. Avenida Brasil. Três anos de escritório. Sparky. Adam Lanza. Tito Vilanova. Natal com quem amo. Passagem de ano com quem amo.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O meu Natal

Foi farto em amor, paz, saúde e alegria.
As palavras acertadas do meu irmão fizeram com a ceia começasse com olhos molhados. Ninguém passou ao lado do seu discurso. Ninguém. De forma resumida mas incisiva fez-nos recordar episódios que podiam fazer com fossemos menos à mesa. Com a graça de Deus e a nossa união estávamos todos, é certo, mas as dificuldades devem ser lembradas. São elas que nos tornam mais fortes e são também elas que dão valor a coisas que normalmente são banais.
O jantar foi feito em harmonia, com a mesa farta em comida e doçaria. Foi, portanto, uma tal dieta. É importante que não hajam duvidas nesse aspecto.
Antes da meia noite tivemos que abrir as prendinhas da criançada. Os meus dois anjinhos já não aguentavam a ansiedade e, afinal de contas, esta época é mais deles do que de qualquer dos adultos presentes. Fartaram-se de rasgar papeis de embrulho, de arrancar laços e de gritar. Foi um fartote.
Depois disso houve torneio da sueca, onde os mais novos brilharam. Infelizmente no dia a seguir vingaram-se os mais velhos e nós saímos derrotados. Importa dizer que a experiência dos mais velhos em jogadas manhosas foi essencial para a vitória deles. Isto tinha mesmo que ser dito.
À meia noite, como manda a tradição lá em casa, foi hora dos graúdos abrirem os presentinhos deles. Foi uma panóplia de desejos concedidos. Os meus foram praticamente todos concedidos. Fui, por instantes, criança outra vez. Aproveito para agradecer a todos os que contribuíram para esta minha alegria infantil. É bom recuar no tempo, nem que seja uma só noite por ano.
Por volta das duas horas da manhã larguei o ambiente familiar e foi ter com a malta. A tradição foi mais uma vez cumprida. Fogueira no meio da rua e três ou quatro dezenas de pessoas à volta dela. Entre gargalhadas e conversa lá passaram umas horas de qualidade superior. Sabe sempre bem rever amigos de sempre que por uns e outros motivos estão longe. A cumplicidade mantém-se e isso é o que realmente importa. Que para o ano lá estejamos todos outra vez.
O dia vinte e cinco foi caseiro, tranquilo e com muito sofá, lareira e conversa à mistura.
Foi, em jeito de resumo, o Natal que eu desejava, rodeado por pessoas que amo e que só me querem bem. Quando assim é só posso pedir mais destes. Muitos mais.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Um Santo Natal

Nesta noite queremos por perto quem nos aquece o coração e nos abraça a alma. Queremos aqueles que nos admiram sempre, nos bons e nos maus momentos. Queremos quem nunca duvida de nós e quem acredita sempre que vamos conseguir. Queremos os que ficam com os olhos a brilhar com o nosso sucesso. Queremos aqueles que choram, abraçados a nós, nas nossas derrotas.
Sempre, mas especialmente na noite de hoje, queremos junto de nós aqueles que nos amam de forma incondicional e que nunca, seja qual for o momento, imaginam, sequer, deixar de o fazer. Hoje queremos connosco aqueles que só são felizes porque nos amam e fazem parte das nossas vidas.
Que hoje, à mesa, estejam sentados corações apaixonados, mentes cúmplices e corpos que só vivem porque quem esta ao lado vive também.
Que a saúde seja o ar que se respira, porque sem ela, acreditem ou não, nada tem valor. Só quem sente falta dela, seja por quanto tempo for, sabe o quanto ela vale. Não esperem pela sua ausência para a valorizar.
Desejo-vos a todos vós, sem excepção, um Santo Natal. Que esta noite e o dia que se segue sejam passados com aqueles que mais amam, felizes e cheios de saúde.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Fuerza, Tito.

Tito Vilanova, treinador do Barcelona, foi operado a um cancro na glândula parótida. A cirurgia aconteceu hoje de manhã e correu como previsto. O primeiro passo é o mais importante e foi dado com sucesso, agora é um dia de cada vez, ao lado dos que o amam, com a força de um guerreiro.
É importante que se diga que ninguém deveria passar por isto. Ninguém. Infelizmente há muitos "Titos" por este mundo fora e a eles deixo-lhes a minha solidariedade.
Viver é o melhor desporto do mundo.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Adam Lanza

Matou vinte e seis pessoas. Vinte crianças e seis adultos, incluindo a própria mãe. O pesadelo terminou quando o jovem, de apenas vinte anos, se suicidou.
Nos Estados Unidos debate-se, agora, a política das armas. A Constituição americana, na sua segunda emenda, garante aos civis o direito à posse de armas de fogo. Isto, quer se queira quer não, é assustador. Permitir que cada cidadão tenha uma ou várias armas em casa é aceitar a existência de um rastilho que pode acender a qualquer altura e por qualquer motivo. Só uma lei parva, que não tem outro nome, permite que Adam Lanza entre numa escola com uma Glock, uma Sig Sauer e uma Bushmaster, carregado com centenas de munições, e mate vinte e cinco pessoas. Para além destas três armas, o jovem tinha outra no banco de trás do carro, isto é, Adam saiu de casa com quatro armas. Agora eu pergunto: é normal existirem quatro armas deste calibre, mesmo que a lei o permita, numa casa onde vivem apenas mãe e filho? Não é. Todos nós sabemos que não é.
A lei americana permite que qualquer civil tenha armas, mas não os obriga a isso. É importante esclarecermos este aspecto. Para além disso, se um pai ou uma mãe decidem ter armas em casa a obrigação de vigilância sobre as mesmas recai, apenas e só, sobre os progenitores. A mãe de Adam, segundo relatos, tinha as armas porque teve problemas com o ex-marido, pai do jovem. Quatro armas para precaver um possível diferendo com o ex-marido? Não será um exagero? E a senhora será normal? São questões que têm obrigatoriamente de ser levantadas.
Acredito que o jovem homicida tenha problemas de saúde, aliás, não duvido. Uma pessoa normal, tenha a idade que tiver, não entra numa escola a disparar sobre quem se mexe. Isso é sagrado. Para além disto tenho para mim que há uma falha de acompanhamento no desenvolvimento deste miúdo, uma falta de atenção e um deixa correr. Prova disto são as palavras do babysitter do autor deste acontecimento macabro. A mãe de Adam disse a Ryan Kraft para nunca virar costas a Adam enquanto este estivesse sobre a sua tutela. Isto há dez anos atrás. Há uma década, quando o filho tinha apenas dez anos, a mãe receava qualquer distracção por parte de quem tinha o dever de vigilância sobre a criança, hoje, nesta altura, quando o filho tinha vinte anos, conseguia ter, pelo menos, quatro armas em casa. Desculpem-me, mas isto não é normal.
A lei americana tem de ser criticada. Pode e deve ser alterada, é verdade, mas este trágico acontecimento, e outros da mesma natureza, não podem ter como justificação somente a segunda emenda da Constituição da América. Aliás, a própria lei prova isso mesmo. Há milhões de americanos com armas em casa que nunca cometeram um crime. Há uma falha no crescer de todos os seres humanos que matam por matar, sem motivo e sem razão. Este tipo de pessoas obriga a uma vigilância apertada e a cuidados diferentes. Adam Lanza mostrou, desde sempre, que não era uma criança normal nos relacionamentos e isso devia ter sido tido em conta ao longo do seu percurso.
Que descansem em paz aqueles que partiram sem culpa, que ainda tinham uma vida por viver, que deixaram olhos carregados de lágrimas e corações a gritar de dor. Que Deus os abençoe.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Eu creio

Eu creio que o que Deus preparou para mim é melhor do que aquilo que eu peço a ele.
Sempre assim foi, em tudo na vida. Sempre achei que tive mais do que o que pedi. Tenho dias, e não são poucos, que acho até que tenho mais do que aquilo que mereço.
A Ele o meu obrigado e a minha tentativa constante de ser uma pessoa melhor.

Hoje é dia de dar o pito

Neste dia, na minha alegre terrinha, as gentes do sexo feminino têm que dar o pito.
No dia de Santa Luzia, hoje, as mulheres de Vila Real oferecem o pito, doce regional, aos seus companheiros. No dia de São Brás, 2 de Fevereiro, os homens oferecem as ganchas às suas companheiras.
Não sei quando começou, só sei que a tradição ainda hoje, com larga idade, se mantém.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Dicas natalícias

Todos eles são livros. Todos eles estão na FNAC.
Entenderam?

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Jantar de Natal, o primeiro

Éramos mais de duas dezenas num restaurante que foi só nosso.
O bacalhau, divinal, com broa foi recheado de amizade e regado com bom vinho, não estivéssemos nós na terra dele. Até tivemos direito a rótulo personalizado, como a foto documenta.
Ri muito, como há muito não fazia. Isso diz tudo. Sabe-me bem estar rodeado de gente boa e que só me quer bem. Destes jantares venham mais. No Natal e sempre. 

Drive

Pelo nome, pela capa e pelo início encheu-me o peito.
Pura ilusão. Muito fraco. Uma história estranha que acaba por nem se perceber. O mesmo se aplica ao fim. Foi uma hora e meia perdida. Esta é a verdade. Vi-me e desejei-me para não adormecer a meio, mas se o tenho feito só tinha ganho com isso.

LOL

Já vi novelas bem melhores.
É um filme vazio e mais do que previsível.
Pelo título parece comédia, mas não, é só o diminutivo de Lola, a actriz principal.
Viu-se, mas se não se visse não se perdia nada.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Jantares de Natal

Hoje é a abertura oficial da minha época de jantares de Natal. A chamada dieta de dezembro.
Há o do trabalho, o do trabalho de quem é especial, o do futebol, o dos amigos e outros onde a minha presença foi solicitada, mas infelizmente não irão contar com ela. É com agrado que recebo todos os convites, mas eu, a família e a carteira também temos direito a respirar e hoje em dia, diga-se, isto dos jantares desta época é um exagero. Só falta haver um jantar de pessoas que não se conhecem mas que se cruzam na rua durante todo o ano.

Shampoo Axe

Desconhecia, até há uns tempos atrás, que havia shampoo Axe.
Curioso que sou comprei-o. O Anarchy. Queria ver que tal era e fiquei com a melhor impressão. É de qualidade, podem comprar à confiança. Está no Continente a 4,49€.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Opções e consequências

Nunca tomo decisões sem pensar.
Antes de tomar qualquer decisão coloco-me "do outro lado".
Aceito as consequências das minhas opções.
Respeito as opções dos outros.
Se todos seguirmos esta linha de pensamento a vida será bem melhor.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Gillette Fusion Proglide

Um exemplar entrou ontem pela porta de minha casa. Oferta do Continente.
Fiquei convencido assim que as cinco lâminas privaram com a minha pele. É o avião das giletes.
Por 19,99€ podem adquirir um conjunto que inclui um mini gel, uma máquina proglide manual e um carregador com três unidades. Não está caro quando comparado com outros produtos da mesma gama e atentando à qualidade do material.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Instagram

Esta é a minha morada nesse maravilhoso mundo virtual.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

É a vida a ensinar.

Foram segundos que pareciam minutos, minutos que pareciam horas, horas que pareciam dias, dias que pareciam semanas e uma semana que me pareceu o fim do mundo a aprender esta lição da vida. Foi o dono deste tempo que me disse que se mais de seis décadas de vida não dizem quem são os verdadeiros amigos, menos de três nada podem dizer. E é tão verdade.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Tão verdade!

Clica em cima da imagem para aprender!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Sparky

O Sparky foi amarrado com uma corda a uma carrinha e foi arrastado pela cidade de Vila Real, apenas por puro gozo. Dentro da viatura seguia um casal ainda por identificar. Pelo menos as suas identidades ainda não foram tornadas públicas, coisa que espero, muito sinceramente, que aconteça. Os seus nomes e os seus rostos devem ser espalhados pelos quatro cantos deste país e por todos os meios de comunicação social.
O pesadelo do bichinho terminou no parque de estacionamento do Lidl, com várias pessoas a assistirem e manifestarem-se contra esta barbaridade, conseguindo, assim, que o animal fosse libertado e deixado no chão, entregue apenas às suas dores e ao seu sofrimento.
O cão foi colocado na mala de um carro e foi levado, sem qualquer resistência e com toda a ternura possível, para o Hospital Veterinário da UTAD. Isto graças à Polícia e à ajuda da Ana Loureiro, que ainda hoje é responsável por este animal. Um bem haja a quem tem o coração do tamanho do da Ana.
O Sparky, como devem imaginar, tem lesões gravíssimas e vai estar sujeito a um longo internamento até voltar a sorrir para a vida. Isto, como é sabido, tem custos e toda a ajuda é pouca. Quem quiser e puder ajudar pode fazer uma transferência bancária, nem que seja de um só euro, para o NIB 0018 0003 2299 1210 0203 5, ou ajudar de outra forma qualquer e para isso podem entrar em contacto com o anjo da guarda deste pobre animal através de e-mail (anabeatrizloureiro@iol.pt) e/ou através de telemóvel (917 188 836). Quem quiser juntar-se à página de apoio do facebook basta entrar aqui
Eu já ajudei. Não custa nada e o Sparky, mesmo em silêncio, agradece.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Hoje

Só quero pijama e cama!

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Surpresa boa

Na minha cama, num dia que já passou, com a assinatura da minha mãe. Aos olhos dela eu ainda sou criança e isso faz-me encolher no tamanho e crescer no peito.
Já disse e repito: mãe só há uma!

O Fantástico Homem-Aranha

Não é um filme que me faça delirar. A fantasia cinematográfica não faz o meu género, mas não posso dizer que não gostei. Foram, até, duas horas bem passadas. Não só graças ao Homem-Aranha, é certo, mas também graças a ele. Verdade seja dita.
Quem não viu que veja. Isto com amor, amizade ou a sós com umas pipoquinhas é bom.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Desde 2009

Há precisamente três anos atrás, às nove horas da manhã, eu entrei tímido, assustado e com medo do que ia encontrar. Sentia-me incapaz de tudo, mas com vontade de aprender e feliz por ter alcançado algo a que há muito me tinha proposto. Hoje, passados três anos, estou em casa, a minha segunda casa, e sou feliz. Essa é a verdade. Aqui já vivi muita coisa. Já fui das lágrimas aos sorrisos, já vivi vitórias e derrotas, já aprendi muito, cresci como homem e como profissional, mas acima de tudo, fica a certeza de que foi uma boa decisão e não há nada melhor do que pensar que sabendo o que sei hoje teria feito precisamente a mesma escolha.
Este escritório é, à data, o local onde passo o maior parte do tempo da minha vida e é com uma sinceridade intocável que vos digo que trago comigo um sorriso diário.
O que rodeia estas quatro paredes ajuda, e de que maneira, a forma como sou tratado por todos aqueles com quem convivo facilita o trabalho diário e a aprendizagem constante.
A humildade e a honestidade são a minha base e a do sucesso também.

Ontem

Fui ver os meus avós paternos, o meu avô materno e o meu amigo.
Estivemos juntos, abraçados e de mãos dadas. Choramos, conversamos, trocamos ideias e confissões. Pedi-lhes o que lhes peço sempre e com o qual eles nunca me faltaram. Não é um pedaço de mármore e sete palmos de terra que me separam daqueles que amo. Nunca foi, nem nunca será. Os sentimentos vão muito para além do fim da vida e isso aquece-me o coração.
Dói muito beijar quatro fotografias geladas com o tempo.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O ISLA, o Real Madrid e eu não!

Pós-Graduação em Comunicação e Jornalismo Desportivo. É isto que o ISLA e o Real Madrid apresentam ao mundo. Uma notícia de sonho.
Começa em Janeiro, tem duração de nove meses, o corpo docente é do melhor que se pode pedir e inclui um estágio em Madrid. Só coisas boas.
É em Lisboa, são precisos quinhentos euros para a inscrição e seiscentos e sessenta todos os santos nove meses. O fim do sonho, portanto.
Por momentos fui feliz. Muito feliz.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Coisas que eu ouço LIV

Yoggi

Isto é bom que se farta. É quase uma caipirinha sem álcool.
Yoggi com sabor a Limão e a Lima. E não é como o Fernando Mendes, é magro.

sábado, 27 de outubro de 2012

É tão bom!

Acordar tarde, abrir a janela e ver que o meu pai está no jardim, chegar à cozinha e encontrar a minha mãe a cozinhar. Tudo isto, repito: tudo isto, é tão bom!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Acordem egoístas!

Primeiro levaram os subsídios aos funcionário públicos, mas não me importei com isso, trabalho no sector privado. De seguida acabaram com o serviço de saúde, mas não me importei com isso, tenho um seguro privado. Depois tiraram as bolsas de estudo, mas não me importei com isso, os meus filhos estudam num colégio particular. Depois levaram os salários aos trabalhadores do privado, mas como sou profissional liberal também não me importei com isso. Agora destruíram toda a economia e fiquei sem trabalho, mas já é tarde, como não me importei com ninguém, ninguém se importa comigo.

Palavras de Bertold Brecht (1898-1956) adaptadas a Portugal (2012).

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Avenida Brasil

Não sou de novelas. A última que vi, a Duas Caras, acabou há quatro anos. Imaginem.
As poucas que acompanhei, e tenho que ser sincero, foram brasileiras. Só. Nunca vi uma novela portuguesa. Não me perguntem porquê, mas uma coisa é certa, não consigo aguentar uma novela nacional mais que um par de minutos.
Agora, levado pelas mulheres lá de casa, ando a acompanhar a Avenida Brasil. A verdade é que a história, as personagens e todo o guião é muito bom. Do melhor que já vi.
Estou adicto.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Parabéns, anjinhos!

Os meus dois anjinhos completam hoje quatro primaveras.
Que o mundo lhes reserve o que de melhor tem. Hoje e sempre.
Amo-as como um pai ama um filho.
Parabéns à Renata e à Rafaela.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Essa dor

Essa dor que dói por dentro e por fora
Essa maldita dói, dói a toda a hora
Não é no corpo é na alma
Dói sempre, nunca acalma
Esse mal que aperta o coração
Nunca, mesmo nunca, nos dá a mão
Empurra-nos para o fundo
Não dá descanso, nem um segundo
Parecem facas em nós atravessadas
Frias e com as pontas afiadas
Evitam-se as perguntas difíceis
Elas exigem respostas cruéis.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Coisas que eu ouço LIII

O dedo na ferida

                         Foi no Prós e Contras, em directo, para Portugal inteiro ouvir. O Youtube guardou. As redes sociais espalham estas palavras como sal em estrada com neve. Os ladrões, esses, nem assim têm vergonha.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Portugal a arder

Os rastilhos vão-se acendendo. Um aqui, outro ali e outro além. Está fácil de ver que em breve vamos ter más notícias a abrir os telejornais nacionais. Só não vê quem tem a ganância a turvar-lhe a visão. Os seres inertes que governam este país, portanto.
Portugal está como eu nunca pensei ver, a arder!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

É triste viver em Portugal!

Este país está a cair e não há quem o segure. As mãos que o podiam fazer, as políticas, estão ocupadas a arrumar nos seus bolsos aquilo que é do povo. Esta é a verdade.
A revolta já é palpável e a violência começa a ter um odor cada vez mais forte. Agora que estamos neste patamar e os portugueses começam a predispor-se a tudo, e o tudo inclui a cada vez mais que prevista violência, podemos ver o Primeiro Ministro dizer que o PCP utiliza expressões que convidam à violência. Errado, Sr. Primeiro Ministro. O que nos convida, a nós portugueses, a chegar a vias de facto são os seus trinta e um carros, os seus quinze motoristas e as suas onze secretárias. Por exemplo. É importante que se diga que nenhuma das onze secretárias recebe menos que mil e oitocentos euros, o que resulta numa despesa mensal superior a vinte mil euros. Isto numa altura em que nós andamos a revirar os bolsos das calças.
Para além disso são os seus cortes que são sempre feitos de cima para baixo, mas nunca tocando no topo, porque é no topo que a corja do Sr. Primeiro Ministro e ele próprio se sentam, e a qualidade de vida desses sobrepõe-se em larga escala à qualidade de vida dos milhões de portugueses que trabalham de forma honesta, não para pagar as despesas das suas casas e das suas famílias, mas sim para pagar o que um monte de mamões, que não têm nem podem ter, outro nome, esbanjam.
O facto do nosso Primeiro Ministro ter andado a mamar em tetas que pertenciam ao Ministro Miguel Relvas explica o porquê de manter no governo alguém que nem no curriculum vitae é verdadeiro. Vir dizer que essas acusações são mentira é o mesmo que respirar. Tem que ser. Cagam-se e lambem-se, é o que é.
E agora estes cortes no IRS? O que é isto? Este governo estava bem a mamar num sítio que eu cá sei. É o que é. Tenham vergonha e dois dedos de testa.
Depois a oposição que é tão suja como quem lidera. Esta é a triste verdade.
O Engenheiro, se é que lhe posso chamar assim, José Sócrates gasta em Paris quinze mil euros por mês, segundo dizem, tudo financiado pela mãe. Não resulta de anos de governo, nem dos milhões que apareceram em offshores. Não! É uma mesada da mãe. Canta!
O Zorro pequenino, ou o Zorrinho, como queiram, pobre coitado, teve que largar um BMW série 5 para andar num modesto Audi A5. Um desgraçado, portanto. Nem sei como aguenta tamanho desprestigio. Segundo ele, o PS gastou duzentos e dez mil euros dos contribuintes em quatro carros porque a democracia tem um custo e acalmou-nos ao dizer que a não democracia é bem pior. Agora que todos estamos mais calmos e sabemos para onde vai o nosso dinheiro podemos dormir mais sossegados. Tirar leite e pão das casas do povo para gastar em carros é mais do que plausível. 
Para colocar a cereja no topo do bolo apareceu Francisco Assis que já arrefeceu o corpo que Felgueiras aqueceu e desabafou entre dentes, importunado com a gente portuguesa, que qualquer dia querem que o presidente do grupo parlamentar ande de Renault Clio quando se desloca em funções oficiais. Pena que ele não saiba que há quem vá trabalhar a pé e outros que andam a pé e com fome a procurar um emprego que não encontram. Esses não queriam um Clio, queriam algum na carteira para poderem ter uma vida digna. Só!
O dia da violência vai chegar, isso é certo e mais do que previsível, mas não devia ser praticada entre as força policiais, também elas roubadas pelo estado, e o povo, mas tendo como único alvo aqueles que nos roubam e ainda se riem nas nossas caras.
A justiça para os que destroem dia após dia o nosso país não funciona e se há uns anos isso se entendia, porque nada se sabia, não havia informação e muita da que havia era controlada, hoje não se entende. As notícias saltam nas redes virtuais que nem pipocas em panelas quentes e não há uma alma que faça com que esta gente pague pelos crimes que comete. Isto tudo sem partidarismos e macacadas do género. Eu quero é ter uma vida digna e gosto pouco que façam de mim palhaço. Trabalhem por nós e para nós, depois andem nos carros e façam as vidas que os nossos cofres permitem.
Não é triste ser português, triste é viver em Portugal.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Ser pai

O meu maior sonho é ser pai, sempre foi, e imagens destas só me fazem querer ainda mais. Não é só ter o mesmo sangue a correr nas veias. É muito mais. Tenho a certeza.
Vejam um outro episódio deste amor.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Um amigo campeão!

Jorge Rodrigues escreve-se agora em letras douradas. Entrou na história do futebol nacional.
Na última época ficou em segundo lugar num clube que tinha acabado de chegar à divisão mais alta do futebol estoniano, o Nomme Kalju, este ano sagrou-se campeão da Estónia quando ainda faltam três jornadas para o fim. Um feito inédito para o atleta e para o clube. Assim, e como quem percebe de futebol sabe, se este ano disputou as eliminatórias da Liga Europa, para o ano vai disputar as eliminatórias da Liga dos Campeões. Um sonho tornado realidade.
O Jorge merece toda a minha amizade, todo o meu respeito e todo o meu orgulho. Sempre assim foi. Conheço-o há vinte anos, mais coisa menos coisa, e acreditem que ninguém tem o querer dele. Desde sempre lutou para ser melhor, nunca o vi satisfeito, sempre quis mais e foi esta vontade, aliada à sua qualidade, que fizeram com que ele andasse em relvados portugueses, polacos, eslovenos, chineses, tailandeses e agora estonianos com um sucesso que só está ao alcance dos melhores. Por onde passou deixou vincada a sua imagem de bom profissional e, mais importante de tudo, deu a conhecer o ser humano fantástico que é.
Aguardo por ele para lhe dar os parabéns olhos nos olhos e para comemorarmos esta vitória que a sinto como se fosse minha. Os amigos são assim, vivem as vitórias dos outros como se das deles se tratassem. Parabéns ao Jorge e ao Nomme Kalju.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Mãe só há uma!

Quem tem um domingo com um Barcelona-Real Madrid, um Milan-Inter e um FC Porto-Sporting pensa que já tem tudo, mas eu tive ainda mais. Tive um lanche que me encheu as medidas, tal como prova a foto que pouco vos mostra do muito que havia. A minha mãe é capaz de tornar um domingo maravilhoso, num domingo perfeito. Um beijinho para ela, directamente do blog para o mundo.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Jornal de Notícias

Diz o citado jornal que morreram quatrocentos e trinta mortos nas estradas portuguesas. Quatrocentos e trinta mortos.
Morrerem quatrocentos e trinta vivos é uma tragédia, morrerem quatrocentos e trinta mortos é uma coisa que ainda está por qualificar.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Milionários, mas pouco!

Há uns meses, e do nada, tornaram-se uns dos mais ricos casais ingleses. Hoje a única coisa que os distingue dos casais normais são cento e noventa milhões de euros. Adrian voltou a trabalhar atrás do balcão de uma loja de música e Gillian ainda não sabe de vai abandonar o seu trabalho de auxiliar de acção médica para dedicar mais tempo às filhas.
Cometeram, desde Agosto, uma extravagância, se é que lhe podemos chamar assim, compraram um Ford Kuga semelhante ao da imagem. Continuam a viver na mesma casa e as suas férias foram passadas na caravana do pai de Gillian.
Sempre que penso em mim com um prémio do euromilhões na mão imagino uma nova vida minha. Não admiro, nem deixo de admirar este casal, cada um sabe de si, mas duvido muito que eu, no lugar deles, tomasse as mesmas decisões. E quem me lê?

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Nham nham

As melhores barras de cereais do mundo!
Aquele chocolate branco por baixo, estão a ver? Bem, aquilo é uma coisa dos deuses.
Não provem, porque se provarem vão querer sempre mais e mais e mais.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Coisas que eu ouço LII

O Ditador

Foram muitos os que me falaram bem dele. Eu não achei grande coisa.
É o chamado filme de domingo à tarde. Engraçadito, nada mais.
Tem algumas partes com piada, mas no geral não preenche, de todo, os requisitos para ser considerado uma boa comédia. Isto na minha óptica, claro. Pinta-se mais do que aquilo que realmente é.
Não é maravilhoso, mas também não é horroroso. Dá para entreter, mas não dá para chorar com o riso. Pelo menos a mim não deu. Vejam-no e se tiverem opinião diferente digam-me.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Miguel Oliveira da Silva, o bicho!

Em prol da luta contra o desperdício e a ineficiência, o Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida defende que o Ministério da Saúde pode e deve limitar o acesso aos medicamentos mais caros para tratar doenças como o cancro e a sida. Miguel Oliveira da Silva, presidente deste órgão afirma que "não só é legitimo como, mais do que isso, desejável" e vais mais além, ao questionar se "mais dois meses de vida, independentemente dessa qualidade de vida, justifica uma terapêutica de 50 mil, 100 mil ou 200 mil euros".
Isto já nem uma questão política, é uma questão humana e saber que neste país entidades com uma importância sem medida estão entregues a bichos, desculpem o termo, mas é o que realmente são, é mais do que assustador.
Pena é que ninguém questione o infinito número de carros de luxo usados pelos nossos políticos, os ordenados chorudos de quem administra empresas estatais, a qualidade de vida de quem governa este país e os "tachos" que todos os dias aparecem num fogão que nunca é o do povo. Isso sim é desejável.
Se um dia questionassem a vida de ricos que os políticos de um país pobre vivem e, melhor, se um dia terminassem com estes luxos desnecessários e desonestos eu tenho a certeza que haveria dinheiro para cuidar de quem vê a vida fugir-lhe por entre os dedos, de quem sofre numa cama de um hospital durante as vinte e quatro horas de cada dia e de quem tem dores pelo corpo todo, da pele até aos ossos.
Sempre ouvi dizer que a vida não tem preço, mas para Miguel Oliveira da Silva tem. Tem porque ele sabe que gastariam o que fosse preciso para que ele durasse o máximo de tempo possível caso estivesse prostrado numa cama de hospital e quem vive encostado a esse conforto sente-se no direito de abrir a boca em público para dizer as palermices que ele disse. Pode até sentir-se no direito, mas não o tem. Não mesmo!
A vida não são números. A vida são sentimentos, olhares, toques, sorrisos, abraços, beijos, lágrimas e sorrisos. A vida são coisas que valem muito, mas mesmo muito, mais que 50 mil, 100 mil ou 200 mil euros.
Por mim este senhor e todos os que navegam no mesmo barco de pensamentos que ele ainda hoje estariam sem emprego.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Acorda, Portugal!

Por favor!

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Mitt Romney

Mitt Romney, candidato à Casa Branca, afirmou que não entende por que motivo não é permitido abrir as janelas dos aviões durante as viagens. Romney vai mais além e afirma que é muito perigoso não poder abrir as mesmas.
Depois de ler isto começo a acreditar que os nossos políticos são inteligentes. Inclusive Miguel Relvas e Paulo Portas. É verdade. Nem a licenciatura de Miguel Relvas, nem a compra dos submarinos são tão palermas como este grunhido americano.