domingo, 29 de abril de 2012

sábado, 28 de abril de 2012

Oferta de luxo

Cortesia de Mário Palmeira.
Obrigado, meu puto.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Coisas que eu ouço XL

Orgulho verde

Sou portista até aos ossos, mas tenho um orgulho enorme deste Sporting.

A foto foi tirada a uma camisola minha. Calma, há uma explicação. Foi um senhor que ma deu. Esse senhor jogou nos leões, depois mudou-se para o vizinho da segunda circular, depois para Espanha e agora anda pela Turquia. Mas quem será? Mas quem será?

KitKat Dark

Com chocolate escuro a coisa não é tão boa, pelo menos aqui para o menino. Não aprecio muito. Gosto, mas enjoa-me, isto é, consigo comer, mas nunca em quantidades industriais.
Não posso dizer que não gostei. Tanto gostei que o comi e no fim ainda chupei dois ou três deditos. Só dois ou três! O que me fazia chupar os dez deditos era o de chocolate branco. Esse sim, enche-me as medidas. Bonito bonito era um de vós oferecer-me um exemplar do KitKat albino. Pensem nisso. Atenção, o pensar tem que ser carinhoso.
Quando falo dos dedos refiro-me só aos das mãos, sim, porque até à data nunca segurei em nenhum chocolate com os pés. Até à data, amanhã não sei.

Pausa no trabalho

Como já comi a bola de berlim toda partilho convosco apenas uma imagem dela. Dela e da paisagem que me rodeia dia após dia. Que tal?

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Só pode!

Quem está, de manhã cedo, à porta de casa a conversar de pijama vestido, está com o intuito de gozar com quem passa para ir trabalhar. Só pode!

Instagram

É um aplicativo para Apple iOS e Android. Consiste, basicamente, na partilha de fotos e na possibilidade de aplicar nas mesmas uma variedade enorme de filtros e efeitos. É para usar apenas e só no telemóvel, sendo certo que este tem que estar de alguma forma ligado à internet, como é óbvio.
Em nada tem a ver com o Facebook, é uma coisa muito mais light, o que, pessoalmente, me agrada.
Aconselho vivamente a todos vós, em especial aos que, como eu, gostam de fotografia.
Quem que me quiser encontrar por lá que pesquise por um tal de cris7mor.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

25 de Abril

Venham mais com a alma dos que foram!

Coisas que eu ouço XXXIX

terça-feira, 24 de abril de 2012

Justiça Cega

Ontem, no programa Justiça Cega, falou-se dos exames de agregação da Ordem dos Advogados e respectivas reprovações. Embora os citados exames não me tenham afectado particularmente aproveitei a oportunidade para mostrar, uma vez mais, ao país quem é na realidade este senhor que a foto tão bem retrata e que os meios de comunicação tão bem encobrem.
Através do twitter, e só por aí, conseguem-se lançar perguntas e/ou afirmações ao ar e em directo. Muitas passam em rodapé, mas poucas são lidas e, por conseguinte, colocadas aos intervenientes. Apenas uma seguia com o meu carimbo, contudo, foi escolhida por Alberta Marques Fernandes, apresentadora do programa. A minha afirmação ganhou, na boca da apresentadora, a força de pergunta. As minhas palavras, documentadas na imagem acima, "o exame do acesso à OA, feito em 2010, foi considerado inconstitucional, mas a OA nunca devolveu o dinheiro da sua inscrição" levaram um "porquê" no fim da sua leitura. O Dr. Marinho Pinto, revelando-se, uma vez mais, um especialista em dizer asneiras afirmou que ficou com o dinheiro para cobrir as despesas que o referido exame acarretou.
Em suma, e para que o país entenda, o Bastonário da Ordem dos Advogados inventa um exame que foi considerado inconstitucional, ou seja, criou um exame que violou o disposto na Constituição da República Portuguesa -coisa que fica sempre muito bem a quem representa os advogados deste país-, e nós, advogados estagiários, é que temos que pagar por isso.
Em português fácil: o Dr. Marinho Pinto roubou-me dinheiro, não mo devolve e ainda tem lata para andar na praça pública a criticar quem lhe passa à frente dos óculos. Sim, roubou-me, porque me obrigou a entregar-lho.

Google Ziper

A Google recorda hoje Gideon Sundback, inventor do ziper, ou fecho Éclair, como queiram. Gideon nasceu há cento e trinta e dois anos e a homenagem prestada pela Google está, como é normal, fantástica. Parabéns a ambos.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

domingo, 22 de abril de 2012

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Aviso

És amigo(a) de algum advogado? Então entende isto:
Não existe "uma vista de olhos no processo", "achas que eu tenho direito", "eu divido contigo tudo o que receber", "é uma coisa simples de resolver", "é só uma carta", nem "uma visita rápida para tirar uma dúvida". Advogados não resolvem este tipo de problemas. Processos cíveis, criminais, de trabalho, contratos, cartas e consultas são frutos de análises cuidadosas e requerem dedicação. E também não penses que será de graça ou barato. Os advogados vivem dos honorários.

Quinta de Remostias

O Olho Vivo aconselha.
Um vinho que contribui para uma causa. Vale a pena conhecer ambos.

Parabéns atrasados

Este blog fez seis anos dia quatro de Abril e não houve uma alma que se lembrasse. Nem eu.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Conferência da verdade

Ontem desloquei-me à cidade do Porto para assistir a uma conferência que contava com a presença do Sr. Bastonário da Ordem dos Advogados. É importante que se diga que não fui lá para ouvir o que ele tinha para dizer até porque, e diga-se, o discurso dele versou sobre filosofia, um trabalho feito por ele em casa, e que a mim nada me interessava. Eu e outros advogados estagiários marcamos presença naquele local apenas com o intuito de nos fazermos ouvir. Fartos de o ouvir a ele estamos nós. Conseguimos. Ele ouviu o que queria e o que não queria, ou melhor, ouviu só o que não queria, ou seja, as verdades.
O Sr. Bastonário passeia-se pelas televisões a criticar Deus e todo o mundo, senta-se nos estudios de gente que de Direito nada percebe. Não reconheço qualquer sabedoria jurídica ao Manuel Luis Goucha, à Julia Pinheiro ou à Fátima Lopes. Perdoem-me a sinceridade. Cada macaco no seu galho.
O dono da Ordem dos Advogados leu o que tinha a ler e depois ouviu o que tinha que ouvir, ou parte do que tinha que ouvir. Os microfones passearam-se pela plateia e muitas foram as questões colocadas ao Dr. Marinho Pinto, questões essas que iam cobertas de acusações e de chamadas de atenção. É vergonhoso o que se passa dentro da Ordem dos Advogados e este país tem que saber que tipo de pessoa manda naquela instituição que, diga-se, merecia alguém muito melhor no seu comando.
Eu fui um dos que intervi. Fui breve, mas preciso. Não roubei muito do precioso tempo daquele senhor que a mim me rouba tempo de vida. Apenas lhe perguntei quando pensava devolver-me o dinheiro que eu paguei para fazer um exame considerado inconstitucional e disse-lhe, olhos nos olhos, que guardava comigo uma frase dele onde o mesmo referia que nós, licenciados em Direito, queremos entrar na Ordem "às manadas" e a propósito da mesma afirmei perante todos os presentes que não lhe admitia aquele tipo de conversa. Ele pode conhecer muita gente que ande em manada, alguém próximo dele, mas a mim ele não me conhece de lado nenhum.
E foi assim que me despedi daquele auditório. Feliz e aliviado. Feliz por fazer parte de uma fornada de advogados estagiários que não se encolhe perante o poder e que luta sem medo das represálias que normalmente funcionam como barreira à democracia. Aliviado porque lhe disse na cara e perante centenas de pessoas aquilo que tinha aqui dentro há muito tempo. Muito mais tinha para lhe dizer e espero dizer-lho em breve visto que ele prometeu agendar um encontro connosco. Duvido que aconteça, mas a esperança é a última a morrer. Veremos até onde vai a coragem do homem do povo que se esquece quem o mantém e para quem ele devia trabalhar.

terça-feira, 17 de abril de 2012

O nada e o tudo


A bola de espelhos era a nossa lua. As luzes as nossas estrelas. O céu estava limpo, o nosso. Tu vagueavas por entre a multidão sem noção do que provocavas. Os meus olhos procuravam-te incessantemente. O meu corpo movimentava-se de forma desnorteada. Não havia maneira de passar perto de ti, de ficar junto, de provar o teu perfume, de admirar as tuas formas, de conhecer a tua dança.
Uma ponte humana uniu as duas margens dos nossos corpos, encostou uma vontade a um desinteresse e fez com que o início de tudo existisse. Eras tu como hoje, no teu canto, sem incomodar quem passava. Eras tu numa vida da qual eu queria fazer parte. Eras tu banal para ti e extraordinária para mim. Eras tu a ignorar a minha presença e eu a admirar a tua. Era eu ansioso sem saber o que dizer. Era eu tímido como só tu me deixas. Era eu na minha busca por ti. Era eu a dar o meu tudo e tu a não querer nada. Era eu que te queria tanto e tu que não me querias nada. Era eu sem ti.
O que hoje é um tudo já foi um nada. O que hoje são palavras já foram só olhares. O que hoje é um abraço já foi um apetite. O que hoje são beijos já foram desejos. O que hoje é cumplicidade já foi uma utopia. O que hoje é amor já foi desconhecimento.
Foi uma troca de palavras que quase não existiu. Foi um ignorar completo. Foi um não querer saber do tamanho do mundo. Foi um sai daqui gigante. Foi o que foi, mas foi o que me fez querer ainda mais.
Hoje não quero como sempre quis, hoje quero mais e amanhã sei que o que quero hoje não me chega. O meu quero-te não tem fim. O meu quero-te não tem limites. O meu quero-te sabe-me sempre a pouco. O meu quero-te será eterno.
É preciso ter o nada para saber quanto vale o tudo

Ana Luisa Abreu

A irmã da nossa querida Luciana Abreu, depois de ser eliminada dos Ídolos, disse, e prestem atenção: "aquele senhor ainda se vai sentar um dia e aplaudir-me de pé", o senhor leia-se Manuel Moura dos Santos.
Aquele senhor vai-se sentar e aplaudir de pé? Isto é genético, só pode.

Pinto da Costa

Trinta anos de presidência e trezentos e oito títulos. Trezentos e oito títulos.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Di Natale

A história de Piermario Morosini não se resume à sua morte num relvado de futebol. Infelizmente a vida deste atleta foi sempre emoldurada pela tristeza. Perdeu a mãe quando tinha quinze anos, o pai quando tinha dezassete e o irmão pouco depois. A irmã, Maria Carla, maior, mas portadora de deficiência mental estava entregue aos seus cuidados, cuidados esses que viram a sua validade terminar no último sábado.
Di Natale, internacional italiano, ofereceu-se para substituir Morosini fora de campo e vai, assim, ficar com a custódia de Maria, prestando todos os cuidados necessários à sua vivência.
Faço uma vénia do tamanho do mundo a este senhor. Quem olhar para este homem que o faça com um respeito único e uma admiração profunda. Vale a pena andar cá por pessoas assim, para quem o viver é algo mais que um verbo.
Hoje Di Natale tem mais um admirador. Sou eu!

Coisas que eu ouço XXXVII

domingo, 15 de abril de 2012

Odeio-te, domingo!

O domingo lembra-me a segunda e isso basta para que eu o odeie.

Piermario Morosini

Caiu, levantou-se, caiu, levantou-se, caiu e não voltou a levantar-se. Morosini lutou até não poder mais. Descansa em paz, miúdo.
Este tipo de casos no desporto começam a ser assustadores. E mais não digo.
.

Linkedin

Estão a ver o Facebook? Agora imaginem uma coisa do género, mas útil. Já está? Pronto! O Linkedin é isso. É um espaço virtual onde oportunidades de uma vida podem surgir, tanto a nível de emprego como a nível de negócios. Nos dias que correm pode ser extremamente útil.
Experimentem.

Montalegre | Sexta13

Foi a minha primeira sexta-feira 13 em Montalegre, mas vou voltar, prometo.
Uma noite de temporal com três graus de temperatura receberam-me de braços abertos.
A comidinha era qualquer coisa. Estava tão boa que eu quase não conseguia parar de comer. O vinho era irmão da comida. As sobremesas eram primas. Tudo para lá de bom. Comi que nem um lobo.
Ainda cheguei ao castelo, ouvi o povo a gritar pelo grande Padre Fontes, mas o chuva e o frio não me deixaram ficar lá até ao fim. Era impossível, juro. O pouco que vi impressionou-me. Nem uma noite com um tempo horrível afastou milhares de visitantes, nem imagino como será com bom tempo.
Em Julho, se Deus quiser, volto lá e espero desfrutar daquilo que desta vez não pude.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Twitter

Serve o presente post para vos informar que eu já faço parte do maravilhoso mundo twitter.
Quem quiser ler umas coisas que não interessam a ninguém que me procure por lá.
O meu muito obrigado.

Cristiano Moreira | @oovivo

Golpe de estado

O responsável pelo golpe de estado na Guiné-Bissau não quererá vir a Portugal ganhar uma tarde?

Bulldog Francês

O meu Scott é top!

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Manuel Moura dos Santos

A cara dele, ao ouvir a Bárbara a tentar construir frases, diz tudo.

Compramos um zoológico

De olhos postos na capa, o filme só tem coisas que eu gosto. Matt Damon, Scarlett Johansson e é baseado numa história real. Juntando isto aos animais estão reunidos ingredientes para uma receita óptima.
Depois de visto não é mau, mas também não é um filme para ver e rever. É aquilo a que eu chamo um filme de domingo à tarde. Isto com um sofázinho, uma lareira e a verdadeira da pipoca é bom.
Ja devem estar a imaginar uma coisa para lá de reles, mas também não é isso. Há até quem chore ao vê-lo. Em suma, podemos afirmar que este filme é uma história de vida que é triste quase na sua totalidade, mas como todas as belas histórias tem um final feliz.
Vejam-no!

O testemunho da Carolina

Não sei qual terá sido maior, se a vitória se a força que ela teve durante toda a batalha.
É uma amiga, um orgulho e um exemplo para cada um de nós.
Obrigado por existires, Carolina!

Messi, Falcao e Ronaldo

Se isto fosse possível os gritos loucos dos adeptos seriam substituídos por gemidos intensos provocados por orgasmos constantes.

Vou dormir

Vou dormir com o nevoeiro, mas nada de intimidades. Garanto!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

O resto é treta!

Eu e a minha secretária somos um só.
Partilhamos ansiedades, desilusões, alegrias e tristezas.
São horas, dias, semanas, meses e anos de um convívio diário.
Ela, aos olhos de quem não sente, é uma anarquia. Para mim é um sonho.
Tudo isto tem o valor que o resto da minha vida lhe dá. Sozinho não a suportava.
Na vida tudo o que se conquista só tem importância quando é partilhado. O resto é treta!

terça-feira, 10 de abril de 2012

Bárbara Guimarães

A Bárbara Guimarães está para os Ídolos como o Vitor Pereira está para o FC Porto. Não tem a mínima noção do que está a fazer, vai ficar até ao fim e, independentemente de quem ganhar, é certo que não volta nunca mais. 

segunda-feira, 9 de abril de 2012

sábado, 7 de abril de 2012

Queima do Judas

Nós por cá tratamos disto hoje.
Estejam aqui às 22h30, se faz favor.
No ano passado foi assim, este ano vai ser ainda melhor.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Diogo Dias, o músico de rua

Chorei no fim deste vídeo.

Adeus hotmail

A minha conta do hotmail foi bloqueada. Não sei porquê, mas também não quero saber.
Serve este post para informar todos aqueles que, por algum motivo, me queiram enviar um e-mail que não o façam para o hotmail. Agora sou gmail dos pés à cabeça.

Arte marcial e/ou desporto de combate

Quero praticar. Não sei ainda qual, mas quero praticar uma arte marcial e/ou um desporto de combate. Há muito que penso nisto e espero em breve concretizar este meu projecto.
Não o pretendo fazer para virar um lutador de rua, mau era com esta idade, mas sim por uma questão de saúde, física e mental. Tenho a certeza que isto me vai fazer bem ao corpo e à alma.
O karaté está fora de hipótese. Não me apetece ter mais vinte anos que os meus colegas. É uma arte que admiro, mas não é uma arte para burro velho. Está, por isso, fora de hipótese.
Se tiverem alguma sugestão, não se acanhem, digam-me.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Pensamento

Honestidade

O cartão no peito da caixa multibanco, o meu dedo nos levantamentos, a quantia escolhida e, por conseguinte, a operação finalizada.
"Operação impossível de realizar, dirija-se à caixa multibanco mais próxima". Dizia ela.
A acreditar que nós humanos somos mais inteligentes que a máquina, retirei o cartão e voltei a cravá-lo no peito da maldita.
"Operação impossível de realizar, dirija-se à caixa multibanco mais próxima". Repetiu ela.
Desisti. Retirei o cartão e virei costas à maquinaria. Avisei quem estava à espera que aquela máquina não dava dinheiro e vim à minha vida.
Nem tive tempo de entrar no carro. O senhor que me seguia na fila grita-me um "espere aí". Eu olho para ele ao mesmo tempo que ele aponta para a máquina e me pergunta se aquele dinheiro não era meu. Era. Claro que era. Lá estavam as notas penduradas. Sem talão a sair e com o cartão no meu bolso. Nunca tal me tinha acontecido.
Isto noutras terras, nas chamadas grandes, cheira-me que teria um final diferente.
Valeu a honestidade daquele senhor. Não quis que fosse eu pagar-lhe o dia. É por estas e por outras que eu gosto tanto da minha terrinha e da gente que por cá vive.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Call of Duty | Modern Warfare 3

Dormimos no mesmo quarto, mas pouco ou nada convivemos. Infelizmente não há tempo para tudo. Do pouco que privamos só tenho a contar-vos maravilhas e duvido que algum dia venha a ter coisas más para vos dizer. Esta brincadeira é a prova de que o homem é mesmo capaz de criar coisas fantásticas.
Cheirem!

Axe Cool Metal

A frescura é tanta que parece que me lavo numa arca frigorífica.
Este é, por agora, o meu gel de banho. Experimentem.

Coisas que eu ouço XXXV

Esclarecimento

Agradeço a todos os que se prontificaram a emprestar-me dinheiro, isto é, não agradeço a ninguém. O negócio continua, assim, aberto.

domingo, 1 de abril de 2012