quinta-feira, 30 de junho de 2011

Bruna Surfistinha

É uma história verídica. Para mim é óptimo. Adoro.
É um filme brasileiro. Outra coisa que eu gosto. Até hoje só não gostei de um.
A Bruna é uma menina que ganhou nome, fama e muito dinheiro graças ao seu corpo, numa fase inicial, e mais tarde ao corpo juntou um blog, o que fez com que ela virasse figura pública.
É um filme que eu aconselho. Vai muito além da Deborah Secco. Confiem em mim.
A realização do filme tem alguns pontos negativos, mas facilmente caem no esquecimento.
Vejam e sintam o doce veneno do escorpião.

A Ip4 está um inferno

De dia para dia o cenário piora. Nunca se sabe o que se vai encontrar.
Neste momento existe uma via para cada lado. Cerca de cinquenta quilómetros assim. As ultrapassagens são uma utopia. Não se sabe quanto tempo se demora de Vila Real a Amarante e vice versa. Há uns dias fiz cerca de trinta quilómetros a uma média de quinze quilómetros hora. Agora imaginem.
Pode-se dizer que hoje em dia a Ip4 é uma autêntica gincana de obstáculos e pelo que sei a realidade é a mesma até Bragança.
Tenho até medo de imaginar um dia de tempestade com a estrada naquelas condições. Mas há mais gente a pensar como eu, tenho a certeza.
Era bom, se possível, que houvesse quem retirasse os muitos cones que estão no meio das vias de circulação. Ninguém tem culpa que eles acabem por ali, mas é necessário que haja alguém que os retire.

Angélico, descansa em paz.

O fim não fica bem aos vinte e oito anos. A quem quer que seja.
Angélico tinha tudo para ser feliz e eu acredito que o foi. Teve tudo aquilo que um jovem da idade dele sonha ter. Tocou no céu, dançou no meio das estrelas e sorriu para a lua. Andou bem lá no alto. A vida, essa, é que vai um pouco além das capas das revistas e para além delas está a realidade de que ninguém pode fugir, está a frieza do destino a que ninguém pode escapar. O dele, acredito eu, estava traçado.
Não sou, nem nunca fui, fã dos Morangos com Açúcar, os D'zrt nunca me chamaram a atenção sequer, mas admito que o Angélico a solo tinha coisas que me agradavam, principalmente esta e esta. São pedaços que ficam, deixados por ele. Memórias boas, que são as que devem ser recordadas.
Cada vez mais me convenço que a vida são momentos, bons e maus, que devem ser vividos com a intensidade no grau máximo. É o que faço e o que farei sempre.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Parvoíce sem medida!

Clicar em cima da imagem para ampliar
"Angélico Vieira, o Francisco Adam está à tua espera para jantar". É este o nome de um grupo criado no Facebook.
Só os 2349 energúmenos que se juntaram ao grupo conseguem ser mais parvos que o animal que o criou. E o número não pára de crescer. As fotos e os comentários que por lá moram são atrozes.
Graças a Deus a parvoíce não é transmissível.

Euromilhões | 132 milhões

Cento e trinta e dois milhões de euros depositados num banco com juros de cinco por cento significam doze euros e meio por minuto, setecentos e cinquenta por hora, dezoito mil por dia e cerca de seis milhões e seiscentos mil por ano.
Dava-me um certo jeito receber, na moeda antiga, dois contos e meio por minuto, cento e cinquenta por hora, três mil e seiscentos por dia e um milhão e trezentos e vinte mil por ano.
Por norma não jogo, mas como adorava reformar-me com 27 anos esta semana vou tentar.

Zhehui e Yahima

No último domingo disputou-se em São Paulo a Taça do Mundo de Judo.
A final foi disputada por Zhehui e por Yahima.
Não parece, mas uma era portuguesa e a outra era chinesa.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Dia de surf

Para quem gosta de bonecada como eu.
Não tem o charme de Shrek, nem a pinta da Idade do Gelo, nem a piada de Madagascar, mas é de fácil digestão. Não lhe posso chamar de maravilhoso, mas posso dizer que é bom.
Tem uma hora e vinte. É leve como uma pena, por isso vê-lo não pesa.
A voz de António Feio anda por lá cheia de humor e como recordar é viver façam o favor de o recordar.

Verão, tu lembras-me

Calor. Férias. Piscina. Praia. Rio. Mergulhos.
Toalhas. Havaianas. Calções. T-shirts. Camisas abertas.
Calças rotas. Sapatos sem meias. Óculos de sol.
Cremes. Areia. Relva. Céu azul. Noites quentes. Festas.
Amigos. Música. Conversas. Bebidas. Gelo. Palhinhas.
Copos. Vidros abertos. Ar condicionado. Ginásio. Corrida.
Suor. Viagens. Malas. Aeroportos. Países Tropicais.
Resorts. Praias desertas. Fotografias. Céu estrelado. Lua gigante.

domingo, 26 de junho de 2011

O meu bastonário é assim:

Clicar em cima da imagem para ampliar

sábado, 25 de junho de 2011

Pós-graduação

O meu curriculum vitae engordou.
Depois da licenciatura chegou a pós-graduação.
Hoje sou feliz e canto.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Parabéns, mãe!!

Cinquenta anos. Seiscentos meses. Duas mil e quatrocentas semanas. Dezoito mil duzentos e cinquenta dias. Quatrocentas e trinta e oito mil horas. Vinte e seis milhões duzentos e oitenta mil minutos. E um número demasiado grande de segundos.
A cumplicidade que nos une é do tamanho do amor que nos envolve. Não precisamos de falar, entre nós os pensamentos são de fácil leitura. Sinto as tuas dores na minha pele. As tuas alegrias brilham nos meus olhos. Contigo ao meu lado sinto-me capaz de girar o mundo ao contrário. Eu e tu tornamos a vida bela, se necessário pintamos-lhe os lábios. Por ti é até à morte, sem pensar sequer.
Que este dia, mãe, se repita por muitos e longos anos. Que esses anos sejam vividos com sucesso e, acima de tudo, com muita saúde. Que essa saúde chega para nós e para todos aqueles que nós amamos. Que todos os que nós amamos nos amem sempre. Que sempre seja a validade do nosso amor, da nossa união e da nossa felicidade.
Por seres a melhor mãe do mundo e porque hoje o dia é teu e só teu, parabéns mãeZinha!!
Amo-te com todas as minhas forças e amar-te-ei assim para todo o sempre!!

terça-feira, 21 de junho de 2011

André,

escrevo-te como portista, como adepto de futebol e na pele de alguém que se sente traído.
Quero dizer-te que quando as palavras nada valem, as pessoas que as proferem valem tanto como elas. Esta é uma verdade que está um pouco acima das absolutas.
Há uns anos atrás, não há muitos, a palavra de um homem valia mais que uma escritura, hoje vale o mesmo, os homens é que são cada vez menos.
Quando apareceste deste a entender que eras um homem, de idade tenra, mas um homem. Criaste ilusões, fabricaste sonhos e deste-nos uma realidade mágica. Numa só época deste-nos tudo aquilo que queríamos, bateste recordes, ofereceste-nos o título na casa do nosso maior rival, goleaste-o, foste a casa dele buscar o bilhete para o Jamor quando ele já estava pronto a arrancar para lá, passeamos classe pela Europa e trouxeste de Dublin mais um título europeu, acabaste um campeonato sem qualquer derrota, fizeste acreditar que cada jogo era uma vitória, para nós e contigo deixou de haver impossíveis, os jogadores massacravam quem lhes aparecia à frente, parecia que tínham super poderes. Tudo isto é mérito teu André. Teu e dos jogadores. Mas lembra-te que a estrutura que não se vê foi aquela que te deu condições para tudo isso. Não acredito que conseguisses o mesmo num dos rivais. Desculpa, mas não acredito.
O teu valor é para mim indiscutível, acho-te um fora de série, considero-te um treinador de topo, penso que em breve estarás no topo do futebol europeu e mundial, não vejo grandes limites para ti. Tens tudo o que eu aprecio num treinador. Tudo ou quase tudo.
Aos homens não lhes basta capacidade de trabalho, aos homens não lhes basta sucesso profissional, aos homens exige-se palavra e honestidade.
Tu és um profissional fantástico, mas um homem pequeno. Tens o valor de cada uma das palavras que proferiste enquanto estavas sentado naquela que tu dizias que era a tua cadeira de sonho. Mentiste-nos André. Traíste-nos e isso nós não perdoamos a ninguém.
Passaste doze meses a gritar ao mundo "estou na minha cadeira de sonho", "daqui não saio e daqui ninguém me tira", "agora que cheguei à minha cadeira de sonho dinheiro nenhum me faz abdicar dela", passaste doze meses a fazer de nós portistas seres orgulhosos porque o nosso treinador era dos nossos, era como nós, amava o clube e nada o tiraria dali. Foste tu que criaste em nós essa ideia. Em nós, nos jogadores, nos funcionários do clube, nos directores e no nosso presidente. Foste tu que fizeste com que o nosso presidente andasse na praça pública a dizer que tu eras tão portista como ele, que eras inegociável, mais, foste tu que fizeste com que ele dissesse que nem que pagassem a tua cláusula tu irias sair porque tu não querias sair, porque tu estavas na cadeira com que sempre sonhaste.
E tu que fizeste André?
Aceitaste a primeira oferta. Disseste que sim à primeira equipa capaz de pagar a tua cláusula. Viraste-nos as costas e nem um adeus. Não foste homem sequer para olhar nos olhos de quem fez de ti o que és hoje. Foste de um tamanho reduzido. Mandaste um fax. Um fax André.
Não te criticamos por ires, não te julgamos por quereres receber cinco milhões por ano, não te censuramos por quereres ter um presidente capaz de comprar qualquer jogador, não achamos mal tu quereres a tua reforma com tão pouca idade. Não André. Nada disso.
Nós não gostamos é de mercenários disfarçados de portistas. Porque uma coisa é seres mercenário outra coisa é seres um dos nossos. Viveste um ano na pele de portista, agora, aconteça o que acontecer, vais viver o resto da vida na pele de um mercenário.
Falhaste André. Devias ter sido honesto. Nenhum de nós merecia isto. Nenhum!!
Daqui para a frente faz como fazem todos, "se for bom para mim e para o clube eu saio", e assim evitas a capa de mercenário e de traidor. Daqui para a frente sempre que quiseres rescindir contrato com quem te paga, dá a cara, olha nos olhos de quem te dá o vencimento e diz-lhe que queres ir embora. Faxes mandam os covadres.
Se até há uns dias eras um símbolo do clube e um homem que ficaria na história, daqui para a frente asseguro-te que não passarás de um número. Foste mais um André.
Contigo aprendi que só os adeptos podem jurar amor eterno ao clube, só eles. Por tua causa deixei de acreditar em amores incondicionais do futebol. Graças a ti vou desconfiar de cada um dos que jure amor ao meu clube.
Na cadeira de sonho estamos nós, adeptos. A nós ninguém nos compra. Nós não trocamos o FC Porto por nada deste mundo. Nós somos portistas. Só nós. Tu não André.
Não é portista quem quer, só é portista quem pode. Ser portista é uma benção que não se pode partilhar. Aponta estas duas frases no teu bloco de notas.
Agradecemos o que nos deste, pena que tu não saibas agradecer tudo aquilo que nós e o clube te demos a ti.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Sem Limites

Não conhecia nem de vista. Nunca tinha ouvido falar nele.
Foi um tiro no escuro em cheio no alvo. Adorei o filme.
Uma história fantástica e com um fim imprevisível, o que torna tudo muito melhor.
Aconselho a ver. Vão ficar colados ao ecran. Prometo.
"Quantos sabem o que é tornar-se a versão perfeita de si mesmo?"
Vejam o filme e saberão a resposta.

A Ressaca | Parte II

O primeiro é sempre o primeiro e foi hilariante. Mas este não fica atrás. De todo.
Para quem gosta de rir ver este filme é o melhor remédio.
Zach Galifianakis e o macaco são capazes de nos levar à loucura. Não desfazendo os demais.
O trabalhar do segundo é o mesmo do primeiro, é certo, mas o humor continua bem vincado.
Adorei e vou aguardar pelo terceiro, afinal de contas falta casar um elemento da matilha.

sábado, 18 de junho de 2011

Toneladas de humor!


Rescaldo do baptizado

Eles, para além de baptizarem o Ronaldo Junior e o Dinis, também casaram a Kátia Aveiro?
Depois de ver o baptizado do filho tenho até medo do casamento dele!
Este gajo, cunhado do Ronaldo, é o maior e tem o melhor emprego do mundo!!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Baptizado do Cristiano Ronaldo Junior

O Ricky Martin foi convidado, mas não pode estar presente, está na Turquia. Azar dos diabos! Mas vai o Toy, o que acaba por ser bastante parecido.
A Irina poderá perder o destaque que habitualmente tem, isto porque a Luciana Abreu vai estar presente e como vai estar ao lado do Djaló acaba por sobressair, mesmo que não queira.
Não entendi bem foi o cenário de guerra que o Cristiano Ronaldo quis criar no baptizado do filho. Campo de Tiro de Alcochete? Espaço aéreo vigiado? Mais valia dar-lhe o nome de Rambo.
Os comes e bebes são em casa da tia do bebé e ninguém entra na propriedade sem antes ser identificado. Só não sei se pedem os documentos da viatura, o colete e o triângulo.
Os telemóveis dos convidados não podem entrar, têm que ser entregues aos seguranças. Portanto, o mercado de transferências está fechado durante o baptizado, afinal de contas o Jorge Mendes é convidado e padrinho do Cristiano Ronaldo Junior.
A rua vai estar cortada durante a festa. Talvez a Meo aproveite para meter a fibra óptica naquela zona.

Filipa, a corajosa

Não vejo a hora de poder ter isto no carro e no ipod.
Já agora, ouçam esta balada. Também da Filipa, claro.

Pode nos acontecer a nós!

Ontem morreram duas pessoas num acidente na A4, na saída para Penafiel.
Passei na faixa contrária minutos depois do acidente e na faixa do acidente umas horas antes.
Passo ali diariamente, ou quase, de há nove meses para cá e o medo é cada vez maior. Não só desta estrada, mas sim de todas.
Não sei as causas do acidente, nem isso agora interessa, mas posso dizer-vos que o respeito e o cuidado não andam de mão dada com a maior parte dos condutores. Quem por lá anda sabe do que falo. Eu tenho consciência que a mínima distracção pode ser fatal. Tenham essa consciência também. Por vós e por nós que dividimos a estrada convosco.
É imperativo não esquecer que as coisas também nos podem acontecer a nós.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Forlan quer dois!

Diego Forlan, de 32 anos, tinha casamento marcado com Zaira Nara, de 22. Cancelou-o.
O uruguaio traiu a menina da foto com um homem. Sim, a menina da foto é a Zaira.
Está visto que a Forlan não lhe basta ter um pénis dentro de casa, ele precisa de dois.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Super Homem | Versão Moderna

Eis o novo Super Homem.
De calças de ganga. De botas. De t-shirt. E, mais grave, sem a cueca vermelha.
Estou sem palavras. Nem sei como vou enfrentar o resto do meu dia.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

La mia Fiona

Fernando Pessoa | 123º aniversário

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."

domingo, 12 de junho de 2011

Resumo

Lisboa. Odivelas. Estoril. Sintra. Cascais. Pisei um pouco de cada.
A capital assusta-me sempre que lá chego. Baralha-me nos primeiros momentos. Nunca me chega a convencer. A qualidade de vida não mora lá. Desculpem, mas não mora.
Foi o casamento de um amigo do lote restrito dos verdadeiros que me levou lá. Valeu a pena. Por ele e por ela. Mereciam a minha presença onde quer que fosse.
Foi emocionante, assumo. Talvez tenha sido o tamanho da amizade que nos une a dar altura à emoção. Só pode. Foi um dia que me marcou. Desejo-lhes o que de melhor a vida tem.
Estou cansado, foram muitos quilómetros de estrada e poucas horas de cama. Amanhã dou início a uma maratona mais dura que a do Sara. A vida não pode ser só feita de coisas bonitinhas, não é?

quinta-feira, 9 de junho de 2011

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Almoço | Douro in

Uma companhia perfeita.
Uma sopa de fruta.
Um arroz de pato.
Uma água natural.
Um tinto da Quinta do Estanho. Denominação de Origem Controlada.
Umas frutas laminadas. Maça, manga, kiwi, ananás, laranja.
Um café mexido com pau de canela.
Tudo isto à beirinha do rio Douro. Imaginem.

Reincidentes

Na mesma tarde e no mesmo local onde espancaram a Filipa, as delinquentes, Bárbara e Raquel, já tinham feito outras duas vítimas menores de idade. Apenas uma diferença, a Filipa só foi espancadada, as outras foram espancadas e roubadas.
Dois dias antes as delinquentes tinham assaltado outra menor, roubaram-lhe o telemóvel, a carteira, os óculos de sol e dinheiro, não sem a antes a terem espancado, claro.
E depois há quem seja contra a medida de coacção aplicada. Estão ali umas ricas meninas. Estão, estão. Nem na Idade Média as gentes se comportavam assim.

Dia Mundial dos Oceanos

Hoje é dia mundial dos oceanos, vamos dar os parabéns ao nosso!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Para ti!

Justin Timberlake e Mila Kunis

"Somos como irmãos", disse Justin Timberlake. Nem imagino como seria se fossem como animais com o cio.

Assim é difícil!

No último ano cerca de 4 500 gregos já falecidos continuaram a receber pensões. Continuaram como quem diz, alguém continuou por eles.
Na Grécia há 9 000 pessoas com mais de 100 anos ainda a receber a reforma. A necessidade é tanta que até se esquecem de morrer. Só pode.
Depois querem sair da crise.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Santo António

Ontem já lá fui comer a verdadeira da fartura. Duas, para ser mais preciso.
Tudo ainda muito calmo, pouca gente e as barracas ainda muito tímidas. Por mim estava óptimo, já que eu dispenso bem confusões e multidões.
Tive ainda tempo para assistir a uma escaramuça entre duas pessoas com muito álcool no sangue. Pelos vistos um chamou paneleiro ao outro e vai daí que a coisa aqueceu, só não ferveu porque eles não conseguiam agredir-se, não precisaram, sequer, que alguém os separasse.
Para além disso, tive a oportunidade de entender como é que uma família inteira consegue atingir proporções físicas capazes de preencherem os requisitos daquele programa da SIC chamado de Pesos Pesados. É fácil, basta parar o carro de forma a ficar rodeado pela barraca das farturas, das pipocas, dos gelados e do algodão doce, depois disso é imperativo ordenar ao filho que saia do carro, que compre tudo o que os seus olhos alcançam e que vá entregando as compras no carro para que os seus progenitores possam devorar tudo sem que seja necessário levantar o fundo das costas dos bancos. Posso dizer-vos que nunca vi uma senhora comer uma peça de algodão doce com tanta velocidade. Foi assustador.

Ontem 38 a 45% dos portugueses pensaram assim

Dúvida do dia:

Com a queda do governo aumenta o número de tachos ou o número de desempregados?

domingo, 5 de junho de 2011

sábado, 4 de junho de 2011

Conclusão de um eleitor

"As pesquisas de mercado para determinar tendências de voto são manipuladas e não reflectem, de todo, a verdadeira tendência do eleitorado.
Realizei um levantamento por conta própria e concluí que o próximo Primeiro Ministro vai ser a minha mãe.
Telefonei a 1253 pessoas entre as duas e as quatro da manhã e perguntei:
- Em quem vai votar para Primeiro Ministro?
Todos os entrevistados responderam:
- NA PUTA QUE TE PARIU!!"

Cavaco Silva disse e bem:

"Quem não votar perde legitimidade para depois criticar as políticas do Governo. Abster-se de votar é demitir-se do seu próprio futuro."

sexta-feira, 3 de junho de 2011

quinta-feira, 2 de junho de 2011

As obras na Ip4

São desesperantes. Cada vez mais e mais.
Nunca vão ter fim. Eu sei disso, juro que sei.
Não as entendo, nem nunca as vou entender, nem sei se quero.
Não sou especialista na matéria, mas faz-me confusão que se consigam passar anos a fio sempre com obras. Anos a fio mesmo, não estou a exagerar.
A estrada só por si é perigosa, agora imagem mecos, luzes a piscar, separadores de cimento, separadores de rede, separadores de plástico, homens de coletes flourescentes, máquinas das obras, carros da Brigada de Trânsito e agentes da autoridade a partilharem a estrada com quem a usa para se deslocar. É, no mínimo, complicado.
Já há alguns anos que uso o troço da Ip4 que liga Vila Real a Amarante, mas nos últimos nove meses a minha vida obriga-me a ir ao Porto três ou quatro vezes por semana, o que significa passar na Ip4 duas vezes no mesmo dia e nunca sei o tempo que vou demorar. Posso dizer-vos, a título de exemplo, que já demorei mais que quatro horas a chegar ao Porto, ou seja, a fazer cem quilómetros, isto sem qualquer problema meteorológico. Parece mentira, mas infelizmente é verdade.
Ou andam a retocar as marcações da estrada, ou andam a tapar buracos, ou andam a colocar pedaços de tapete novo, ou andam a trocar os railes, ou então, como andam agora, a rebentar cerca de trezentos metros de uma faixa para colocar ou trocar a canalização que está por baixo.
Tudo isto agora, com o bom tempo, é chato, é cansativo e é revoltante, agora imaginem com chuva, com vento, com nevoeiro e com neve. Imaginem só.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Si a ti te gusta a mim me encanta!

O Rei vai nu!

Dia Mundial da Criança

As crianças são:
o melhor do mundo.
o futuro.
a alegria.
a pureza.
a sinceridade.
a inocência.
As crianças são tudo isto e muito mais. As crianças são tudo.
Eu tenho saudades de ser criança. Muitas saudades.

Fiquei a saber que, aproximadamente,

73% das pessoas visitam-me a partir do Norte de Portugal.
13% a partir do estrangeiro.
10% a partir do Centro do país.
4% a partir do Sul. Não fui claro, eu sei, mas aqui incluía as ilhas.
62% dos meus visitantes são homens.
38% são mulheres.
46% dos meus leitores têm idades compreendidas entre os 25 e os 35 anos.
26% entre os 18 e os 25 anos.
15% têm menos de 18 anos.
7% entre os 45 e 65 anos.
6% entre os 35 e 45 anos.
O meu obrigado a todos os que concorreram para esta pesquisa.
Voltem mais vezes. Voltem sempre.