quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Amor em palavras

Vou agarrar nos cabelos do teu desejo, arrastar-te pelo chão da tua vontade e atirar-te para cima de um monte de lençóis mergulhados na anarquia.
Vou tirar-te a roupa, peça a peça, e de ti só quero o silêncio da tua boca e um olhar que aprecie cada gesto meu.
Vou percorrer a tua pele de sol a sol, analisar o teu desenho, apreciar cada contorno teu e ver que na verdade és nada mais nada menos do que perfeita.
Vou fazer da tua pele a minha folha em branco, com a minha língua vou desenhar em ti sentimentos e escrever cada uma das minhas vontades.
Vou a correr para os teus ouvidos, vou contar-lhes segredos que nunca saberás e vou sussurrar-lhes pensamentos que são soltos mas que estão vincados em mim.
Vou deslizar pela tua face e sentar-me nos teus lábios, agarrar neles com firmeza, trincá-los, se preciso for, e depois vou dar voltas loucas na tua língua tímida.
Vou saltar para o teu pescoço e contra ele vou atirar beijos de fogo, respirações ofegantes e duas mãos com a força de um só desejo.
Vou deitar-me nos teus ombros e apreciar o teu corpo, qual alpinista quando atinge o topo do cume.
Vou serpentear por ti, deslizar nos teus poros, trincar o teu aroma, mastigar a tua ânsia e sentir cada pedaço teu.
Vou fazer o teu corpo rebolar num querer mais, obrigá-lo a não parar, hipnotizá-lo e fazê-lo esquecer que o mundo gira, que o sol brilha e que a lua ilumina.
Vou pegar em ti, levar-te ao céu, sentar-te numa nuvem e mostrar-te como o mundo é pequeno quando nós os dois ficamos num só.
Vou abraçar-te com a força de um oceano, beijar-te com a leveza de uma brisa de verão, olhar para ti como quem olha para algo ímpar.
Vou transformar o meu desejo em lava, deixar marcas na tua pele, construir caminhos na tua alma e vaguear pelo teu pensar.
Vou comparar-te com as sinfonias de Mozart, com os pensamentos de Gandhi, com as pinturas de Salvador Dalí e achar que tu és, em tudo, superior.
Vou querer parar o tempo, partir os ponteiros dos relógios, rasgar cada segundo que venha depois e ficar para sempre assim.

3 comentários:

  1. Bem,sem comentar muito,so tenho uma coisa a dizer,mais uma vez perfeito!beijo

    ResponderEliminar
  2. desculpa cunhado,esse anónimo sou eu:Katia Moreira

    ResponderEliminar